Foto: Rafael Melo / Santa Cruz

A torcida do Santa Cruz, representada por 3.599 pagantes, fez o sacrifício de se deslocar até a Arena de Pernambuco para ver um jogo já tarde da noite, em busca de viver um raro e último momento de alegria nesta malfadada temporada futebolística do Tricolor em 2021.

A obtenção de uma vaga na Copa do Nordeste de 2022 não apagaria o fracasso causado pelo rebaixamento à Série D, porém, daria um novo alento ao povão. Em três momentos do jogo contra o Floresta-CE, a Cobra Coral esteve à frente no placar.

Todavia, não conseguiu segurar a vantagem final que era de 3 x 2, cedeu o empate e capitulou na decisão por pênaltis. Ou seja, para usar um termo comum no futebol, entregou o ouro ao bandido. E agora, sem eira nem beira, o Santa para literalmente e vai procurar elaborar sua incerta programação para o ano que vem.

Pior é que termina o ano sob os faróis punitivos da CBF e do STJD. Durante a partida após um dos gols do time cearense, um objeto atirado para dentro de campo foi entregue ao árbitro. E depois do espetáculo, torcedores invadiram o gramado para tirar satisfação com os jogadores. Alguns chegaram até a se dirigir ao vestiário.

Em Pernambuco, espera-se que aconteça o fato violento, contra a equipe de arbitragem ou jogadores para que o policiamento entre no gramado, quando pela natureza do jogo, no caso desta terça-feira (19), por exemplo, a providência teria de ser tomada de imediato, tão logo foi encerrada a cobrança de pênaltis que levou o Floresta à glória e o Santa Cruz às trevas.

Era prevista a atitude insana de alguns elementos que não sabem se portar como cidadãos num estádio. Uns mais exaltados acharam de danificar as proteções de vidro, o que será colocado na conta do clube, que, além disso estará passível de punição na Série D do próximo ano, ficando privado de utilizar o Arruda em alguns jogos. Pelo menos, a regra é esta.

Aos 21 minutos, Pipico aproveitou rebote, abriu o placar e foi comemorar com a galera. Aos 32, Paulo Vyctor empatou. No segundo tempo, os donos da casa começaram pressionando e voltaram a ficar em vantagem aos seis minutos. Leonan cobrou falta, e Breno Calixto desviou de cabeça. No rebote, Vitinho completou para o fundo das rede.

Já na marca dos 35, o Floresta empatou novamente com Fábio Alves, encobriu Jordan. Aos 38, Pipico completou passe de Eduardo para fazer o segundo dele e voltar a deixar o Tricolor na frente. Mas o Floresta não se abateu e, mais uma vez, empatou o jogo. Nos acréscimos, aos 46, Daniel cruzou da esquerda, e Mailson apareceu na pequena área para igualar o placar: 3 a 3.

Na decisão por pênaltis, Pipico abriu a disputa mandando a bola na trave. O Santa sempre esteve em desvantagem e terminou perdendo por 4 x 2.

84